Tudo mudou e você nem viu

Eu não vou mais me esforçar pra gente estar junto. Não quero passar horas com o celular na mão esperando sua ligação. Não faz mais sentido mover mundos e fundos por você. Lembra quando tudo parecia caminhar e você se distanciou? Foi você quem quebrou o início, quando tudo parecia flores. Lembra? Pois é, as coisas mudam. As pessoas mudam a todo instante e eu mudei. Mudei pra melhor, diga-se de passagem.

2016 chances de ser feliz

O novo ano chegou e, com ele, mais de 300 oportunidades de fazer tudo aquilo que der na telha. Sim, é meio clichê essa história de que, com a chegada do ano novo, surgem novos sonhos, metas e mudanças. Mas, no fundo, se pensarmos que a chegada de um novo ano nos faz repensar e renovar as energias, são expressões super válidas, sim!

Todo mundo já deve ter escutado várias palavras bonitas na virada do ano. Eu, pelo menos, recebi abraços e muitos desejos para 2016 – sinceros, por sinal. Mas o que ninguém me falou e que eu espero e desejo do fundo do meu coração é que, neste ano, eu consiga fazer o que der na minha telha, da melhor maneira possível.

Cão que ladra não morde

Há algum tempo eu tenho falado em mudanças. Falo que preciso de novos ares e experiências. Há algum tempo eu tenho falado que preciso crescer profissionalmente. Também preciso crescer como gente. Há algum tempo eu falo que é preciso não ter medo e enfrentar os monstros que alimentamos sem mesmo saber, ou querer. É isso, eu tenho falado, falado, falado.

Cão que ladra não morde! E não morde mesmo. Falo por experiência própria. Já ouvi que é pé no chão. Mas não sei se devo ou se quero resumir apenas nisso. Eu sequer planejo totalmente o que quero, pra saber se posso ou não, se dá ou não, se vale a pena ou não. Eu sequer tento com toda força do mundo, com tudo que há em mim. Eu apenas falo que quero e o tempo passa, e eu me enfio em outras coisas, mudo de objetivo e de planos.

A quinta-feira do ano

Já é Natal na Leeeeeeader meu povo! O que aconteceu? A gente dormiu e acordou quase no penúltimo mês do ano? Confesso, é assustador. Mas pera lá, embora o ano tenha voado, fiz muita coisa boa durante esse tempo. Tenho consciência disso e aposto que vocês também. Ufa! Mas ontem eu ouvi essa musiquinha e uma pessoa do lado disse: “Nossa, o ano já acabou. Não dá pra fazer mais nada. Agora é só esperar acabar”. Como assim?

Só sei que nada sei

Sem TPM (ultimamente ando com uma ideia fixa de que tudo é TPM), sem revolta com a vida, sem levar uma rasteira e sem sofrer decepção; quero falar sobre mudança, dúvida, crescimento e comodismo, mais uma vez. Tenho pensado e falado sobre isso tudo com frequência, sim, é verdade. Tô chata? Concordo. Ando numa fase de “cada hora quero uma coisa”. Um dia eu quero fazer intercâmbio na China, outro quero abrir uma loja de roupa hippie, no outro quero trabalhar em uma editora, outro quero ganhar na mega pra não ter que pensar em nada (meu pai inclusive me obrigou a fazer um jogo hoje), e tem dia que eu quero, simplesmente, que tudo fique como está. Será que isso é coisa da idade? Eu mesma já respondo minha pergunta idiota. Claro que é!