É que eu lembro com carinho

Talvez eu nunca esqueça os momentos que passamos juntos. E, talvez, eu não queira mais jogar fora tudo aquilo que vivemos, com tanta intensidade. Quando a gente supera o trágico fim de um relacionamento ~ que tinha tanto para dar certo ~ ficam apenas as lembranças, os sorrisos, os abraços e as risadas. Tudo fica no lugar que deveria estar e se torna mais fácil seguir em frente, com a certeza de que as coisas duram o tempo que têm que durar.

Pode recesso?

Olá gente, tudo bem?

Final de ano chegou real e oficial (como diz a parceira aqui do G91)! Agora é hora dos últimos detalhes para a ceia de Natal ~ se você for organizado, claro ~ e de começar a arrumar as malas para o Ano Novo (que eu não tenho paradeiro ainda ¬¬). Bom, levando em consideração essa correria de final de ano, as reuniões de família, confraternizações de amigos, e por aí vai, resolvemos dar um tempinho no blog. “Ah, mas pode isso?” Bom, aqui a gente faz o que der na telha, logo, podemos SIM 🙂

Desejo, por duas, que todos nós tenhamos um Natal abençoado, junto de amigos e parentes, e que 2016 entre com o pé direito. Não tem essa de “que o ano que vem seja melhor que este”. 2015 foi um ano incrível, apesar dos pesares, e tenho certeza que se vocês puxarem no fundo da memória, verão que nada aconteceu em vão.

É isso, Feliz Natal e um Ano Novo cheio de coisas boas pra gente. Ano que vem estamos de volta e vai ter assunto que não acaba mais, podem apostar!

Beijos, até mais gente!

Não, não é solidão

Nos últimos dias eu tenho sido questionada sobre os motivos de estar solteira. Tudo começou porque um colega de trabalho trocou de namorada rapidamente e eu continuo vivendo “sozinha”. O que as pessoas não entendem, embora eu já tenha tentado explicar algumas vezes, é que estar solteira não é sinônimo de solidão, de coração partido e sofrimento diário. Estar solteira não quer dizer que eu chore todas as noites, abraçada a um urso de pelúcia ridículo, enquanto como uma panela de brigadeiro.

Sorria, você está vivendo!

Ela tem sorriso leve, daquele que faz qualquer um querer saber o motivo de tanta felicidade. Mas não tem segredo, nem mágicas, ela sorri com a alma e vê o lado bom em tudo que acontece na vida. Seu coração tem cicatrizes, que um dia foram feridas abertas, mas que saíram curadas pelo poder do sorriso, dessa alegria que contagia.

Ela sabe que todo mundo tem problemas. Todos passam por situações tristes e, por vezes, seu coração se chateia. Mas aí ela sorri, e sorri ainda mais porque sabe que tudo isso passa, basta acreditar e querer. Ela sorri o tempo todo, faz com as dores fiquem tão escondidinhas, que nem ela mesmo as encontra depois. E aí ela sorri de novo, vendo que nada daquilo era tão forte quanto a sua vontade de ser feliz.

E acreditem, ela escreveu essas palavras sorrindo mais um pouco, com os olhinhos brilhando numa quarta-feira nublada. E também querendo que todo mundo entenda que cara feia não paga conta, não coloca comida na mesa, não nos faz esquecer coisas passadas e nem abre portas de emprego.

Reclamar e ficar de bico só faz mal ao coração, ao cabelo e até mesmo a pele. Faz com que a gente perca amigos e familiares, nos faz ficar trancados em casa, vendo a vida passar. Ah, e como a vida passa rápido. Passa voando, na verdade. Olha só, sorrir faz tudo ao contrário. Sorrir é tudo de bom. Inclusive, te deixa ainda mais bonita.

Vai, dá um sorrisão aê para o mundo. Dá! É muito bom, faz bem à saúde, falo por experiência própria.

Qual botão pula para o sábado mesmo? \o/

Sim, você está enganada(o) querida(o). Não, não é um post sobre como odeio segunda-feira. Mas sim, é um post sobre o quanto quero que a semana voe. E não, não é só porque estou de TPM e terei que encarar uma semana cheia de demandas no trabalho (até poderia ser por isso, pensando bem, mas não). Esse parágrafo foi pra vocês se situarem, no próximo (que inclusive escrevi antes desse), vou começar oficialmente.