Sinceridade é coisa simples

Bato constantemente na tecla da sinceridade, no sentido de achar que as pessoas tem o dever de serem mais sinceras umas com as outras. E não tem?! Nas relações humanas em geral. Eu não sou parâmetro para dosar sinceridade, para mim não tem um equilíbrio do tipo: Isso você pode falar, isso não pode porque magoa, tal coisa tem que ser dita com jeitinho… Ah, para! Vamos partir do princípio que é mais justo ser sincero em qualquer circunstância! Poupa desgaste emocional, poupa constrangimentos, situações embaraçosas… Por favor, é o mínimo.

Hora da faxina

Chega um dia e a gente tem um estalo (Opa!). Cansa de esperar atenção, de querer marcar encontros e matar saudades. A gente começa a ver que aquela velha frase que diz “quando quer, consegue” não se encaixa apenas em namoros. O tempo vai passando, rapidamente, e a gente percebe que nada que não é recíproco merece espaço dentro de nós.

Reciprocidade é algo que me arranca um sorriso bobo. Ouvir um “você também é importante para mim” faz toda diferença no meu dia. Receber uma resposta de um email de boa tarde me deixa com a sensação de que escolhi (e fui escolhida) a pessoa certa para ser amiga. Atender uma ligação e ouvir que alguém sente saudade, me faz ainda mais feliz.

Ontem eu chorei de rir

Ontem eu chorei de rir! Engasguei de rir! Gritei de rir! Ri até minha barriga doer! É bom né?! Dá uma leveza na gente… O riso acaba, mas a alegria perdura! As melhores pessoas que se pode ter na vida são essas, que fazem você chorar, gritar, engasgar: DE RIR! Já disse que tenho sorte com família e amigos? Posso dizer que tenho mais que sorte! Vou poupá-los de mais uma declaração descarada de amor.

Ontem juntamos o máximo de amigas que conseguimos. Somos sete, ao todo. Juntamos cinco, porque duas estão fora da área de cobertura. Nossos encontrinhos são sempre despretensiosos, até porque, é bem difícil conseguir juntar mais que três pessoas na cidade. A distância atrapalha, as agendas não batem, a boa vontade não bate, sempre tem um motivo. Temos uma mania feia de ter preguiça! Preguiça de amigo? É, eu não sei o que acontece não! Sei que na última tarde de domingo chuvoso, tudo bateu.