Tudo mudou e você nem viu

Eu não vou mais me esforçar pra gente estar junto. Não quero passar horas com o celular na mão esperando sua ligação. Não faz mais sentido mover mundos e fundos por você. Lembra quando tudo parecia caminhar e você se distanciou? Foi você quem quebrou o início, quando tudo parecia flores. Lembra? Pois é, as coisas mudam. As pessoas mudam a todo instante e eu mudei. Mudei pra melhor, diga-se de passagem.

Hoje eu sou jornalista. Me formei em meados de 2013 e estou fazendo pós-graduação. Termino em março, inclusive. Mudei de emprego pela segunda vez. Estou habilitada, fiz algumas trilhas loucas e viajei para lugares que nunca imaginei. Morro de amores pelo meu afilhado de 1 ano e 10 meses. Meu pai aposentou e comprou um carro. Comecei a malhar. Fiz uma tatuagem.

Sou colunista de um jornal online e conheci uma penca de gente bacana da área de comunicação, ao longo dos anos. Pintei o cabelo de loiro e essa semana vou ficar platinada. Ganhei um cachorro, o nome dele é Fred. Casei duas amigas e esse ano caso mais uma. E ah, faço 25 anos em junho. Você nunca foi muito bom de datas, achei interessante relembrar.

Não demonstrar tanta felicidade com seu telefonema de ontem, não é má vontade. Não estou te dando o troco, como deve estar passando pela sua cabeça de vento. Te conheço muito bem pra saber que, no fundo, é isso que você pensa. Mas não é. Só não me deixa mais tão entusiasmada como antes. Não é medo de me chatear, até porque, sem vitimismo, ando muito acostumada com as rasteiras da vida. Só que você me deixa com os dois pés atrás, pra ser sincera.

Também não estou aqui pra dizer que, de maneira alguma, a gente daria certo novamente. Afinal de contas, mal começamos nossa história. Talvez a “coisa” não era pra ter acontecido há quase cinco anos. Não sei e, quer saber, estou deixando fluir esse seu retorno tão repentino. Por que não faz o mesmo? Vamos levando, deixando caminhar… Quem sabe não nos encaixamos.