Sobre lembranças e sentimentos…

Nosso intuito com o Garotas de 91 é falar sobre o que dá na telha, com bom humor e alto astral, na maioria das vezes. Mas a vida às vezes nos faz repensar situações ruins e, por isso, o post de hoje não será tão contente como os demais. Digamos que seja uma forma de se solidarizar com centenas de pessoas que estão sofrendo com a perda de familiares e amigos no acidente de ônibus que aconteceu em Trindade, distrito de Paraty (RJ), no último domingo, dia 6.

15 pessoas morreram e outras 66 ficaram feridas no acidente. O ônibus tombou no local conhecido como ‘Morro do Deus Me Livre’. A polícia ainda investiga se houve falha mecânica ou humana. A única certeza que existe é de que o ônibus da viação Colitur, com capacidade para 45 pessoas, estava superlotado.

“Mas por que você está falando sobre isso?”. Como eu disse, para compartilhar do sentimento dessas pessoas, porque já sofri um acidente grave de carro, e para que, juntos, possamos repensar atitudes do nosso dia a dia. Quantas vezes a gente murmura, reclama do trabalho ou da faculdade, pensa em desistir de sonhos e projetos… E por que? Por pequenas situações que vêm justamente para tentar nos derrubar e, então, caímos.

Em dezembro de 2011 eu e mais quatro amigos resolvemos passar o reveillon em Angra dos Reis, região da Costa Verde. Saímos numa quinta-feira a noite de casa e fizemos uma viagem super tranquila, apesar da forte chuva. No outro dia, com céu claro e sol forte, a caminho da praia, um carro invadiu a pista que a gente estava e meu amigo perdeu o controle do veículo. Capotamos! O carro rodou três vezes e parou com as rodas para cima próximo à entrada de Praia Brava.

Sinceramente, até hoje não sei resumir o que passou na minha cabeça naquele momento. Todas as vezes que penso ou conto sobre isso, a única coisa que consigo fazer é chorar (como estou fazendo agora) e agradecer a Deus pelo seu amor por mim. Tive ferimentos nas costas e no pescoço. Teria que usar o colar cervical, mas assinei o termo de responsabilidade do hospital e não coloquei.

Lembro como se fosse hoje, quando o agente do Corpo de Bombeiros veio falar comigo sobre o acidente. Ele me olhou e disse: “Você tem um Deus que te ama muito, o carro deu perda total e eu jurava que todos vocês estavam mortos.” E desde então eu penso nas palavras desse rapaz toda vez que me pego reclamando de coisas que, ás vezes, são pequenas diante da minha força e dos meus sonhos.

Moral da história: Precisamos agradecer a Deus sempre, pois Ele nos ama e cuida de nossas vidas. Tudo acontece da forma que Ele quer, mesmo que a gente esperneie e faça cara feia. Vamos levar a vida mais simples, amar agora e querer estar perto de quem nos faz feliz. Não é clichê barato pessoal, mas amanhã pode sim, comprovadamente, ser tarde demais.

Beijos, até mais gente!